CONVÍVIO 2019

CONVÍVIO
18 DE MAIO DE 2019

Programa:
12.00 horas – Celebração da Eucaristia
13.00 horas – Almoço;
16.00 horas – Assembleia geral e apresentação/divulgação do livro Composições Musicais de Mons. Ângelo Minhava, organizado por Mons. Salvador Parente.

LOCAL : QUINTA DA PETISQUEIRA

POR IMPOSSIBILIDADE DE O ALMOÇO SER SERVIDO NO REFEITÓRIO DO SEMINÁRIO, A DIRECÇÃO TEVE DE ENCONTRAR UMA ALTERNATIVA NÃO DISTANTE DO CENTRO DA CIDADE. A QUINTA DA PETISQUEIRA (RESTAURANTE) FICA JUNTO À ROTUNDA PRÓXIMA DO CENTRO HOSPITALAR DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO, CONFORME IMAGEM AQUI REPRODUZIDA.
A EUCARISTIA SERÁ CELEBRADA NA CAPELA DO LAR DA IMACULADA CONCEIÇÃO, AO LADO DO REFERIDO RESTAURANTE, E PERTENÇA DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA.

NOTA: A DIRECÇÃO AGRADECE A INSCRIÇÃO ATÉ DIA 10 DE MAIO.

Convívio 2019

Em 2005, com encontros fora do Seminário, começámos um novo ciclo por desejo e determinação de D. altJoaquim, Digno Bispo da Diocese, à data. Voltámos, desde então, à Casa Grande, em cada terceiro sábado do mês Maio.
Passados 14 anos voltámos á rua. Isto é: tivemos de celebrar a amizade num espaço diferente, na sala de um restaurante citadino.
Por isso perguntamos: será que o ciclo acabou? Não acredito. Não desistimos, pois o Seminário será sempre o nosso meio aglutinador de lembrança, saudades, amizades e realizações, mesmo que um dia o seu destino ganhe outras funções. O Seminário não é só um edifício. O Seminário somos nós.

Este ano realizámos o nosso encontro no restaurante Quinta da Petisqueira, próximo do Hospital de Vila Real. A Eucaristia foi celebrada na capela da Imaculada Conceição, no Lar da Santa Casa da Misericórdia. As Florinhas da Neve deram o seu contributo entoando os cânticos eucarísticos. Tudo correu como prevíamos, com elevação e camaradagem. Destacamos as presenças de D. Amândio, dos padres Pinto Castro, Dias Gomes e Coutinho. Neste dia responderam positivamente cerca de noventa antigos alunos e familiares. Esteve também presente o Mons. Salvador Parente que nos fez a apresentação do livro Obras Musicais de Mons. Ângelo do Carmo Minhava, com edição de Mons. Salvador, a expensas suas.

Homenageámos mais um companheiro e dilecto amigo: Normado Valongueiro Machado. Sobre ele podemos dizer muitas palavras. De repente, lembramo-nos daquele famoso anuncia da pasta medicinal Couto: palavras, para quê? É um artista português e nosso. Tem estado sempre connosco para nos alegrar durante umas horas. O elogio foi dito pelo José Manuel Moura. A direcção promoveu-lhe uma surpresa, convidando a esposa, filha, neta, irmã e cunhado. Apanhado, o Normando que faz rir, encanta, distrai toda a gente desta vez não conseguiu segurar uma lágrima marota. Depois o convívio transformou-se numa tarde e noite de fados, convivio puro, como é habitual, regado e divertido.
Este encontro terminou, outro virá.

António Mota Dinis do Vale